Material Gráfico para Campanha Eleitoral – Política 2016

Chegou mais um ano para escolha dos candidatos que representarão o futuro de cada município, e para você candidato que quer sair na frente, além de bons projetos deve-se pensar na boa imagem que irá ser passada para seus eleitores, para isso a Gráfica Mtrês oferece impressos gráficos com qualidade pontualidade e preço justo que vai ajudar você prefeito ou vereador a se destacar nessa campanha.

Por isso não perca tempo, oferecemos impressos gráfico para sua Campanha Eleitoral 2016 como Santinhos, Botons Adesivos (Colinhas), Panfletos e Folders para divulgação de seus projetos e plano de governo, Cartazes Políticos, Cartões de Visita Políticos, Adesivo Perfurado, Banners e muito outros produtos, solicite seu orçamento e garanta o sucesso de sua campanha com nossos materiais.

 

O que é permitido nesta campanha eleitoral 2016.

Colocar adesivo no carro. Os adesivos não podem ser maiores do que as dimensões de 50cm x 40 cm,  são permitidos aqueles adesivos microperfurados que cobrem o para-brisa traseiro inteiro.

Fazer propaganda em via pública: desde que não obstrua o trânsito tanto dos pedestres, quanto dos veículos, é permitido até colocar mesas para distribuir materiais de campanha, como santinhos, adesivos, cartazes, panfletos, etc. Andar segurando bandeiras também é permitido.

Fazer anúncios em jornais: as propagandas na imprensa escrita são liberadas, mas com limites. Só podem ser feitos dez anúncios ao longo de toda a campanha, até dois dias antes da votação. O valor pago para fazer o anúncio também deve ser informado ao leitor.

Alugar sede de campanha: os gastos com aluguel de espaços para a campanha também são gastos eleitorais e devem ser incluídos na prestação de contas.

Contratar equipe administrativa: toda campanha tem por trás uma equipe que planeja as ações de marketing e controla os gastos. Os gastos com equipe também estão incluídos nos limites de gastos de campanha.

Contratar panfleteiros: os panfletos são permitidos e contratar pessoas para distribuí-los também. Só não vale distribuir panfletos apócrifos, que tentam difamar outros candidatos.

Contratar cabos eleitorais: cabos eleitorais são pessoas contratadas por partidos ou candidatos para dois objetivos principais: conseguir mais filiados ao partido antes das campanhas e mais votos na época das eleições. A contratação excessiva de cabos é uma forma de abuso de poder econômico, segundo o Código Eleitoral.

A lei diz que nos municípios com até 30 mil eleitores, cada candidato pode ter o equivalente a 1% da população em número de cabos eleitorais. Ou seja, em um município com 30 mil eleitores, o candidato pode contratar até 300 cabos eleitorais. Nos municípios maiores, é permitido ao candidato, além do 1% da população adicionar um cabo a mais para cada mil habitantes que excederem os 30 mil. Por exemplo: se um município possui 60 mil habitantes, o candidato pode contratar dez cabos eleitorais a mais para as eleições (ou seja, seu limite será de 630 cabos).

 

E NO DIA DA ELEIÇÃO, QUAIS SÃO AS REGRAS?

Relembre algumas das regras que foram colocadas ao longo dos anos para tornar o dia de votação mais organizado.

É proibido fazer boca de urna, ou seja, propaganda eleitoral nas redondezas das seções eleitorais. É considerado manipulação dos eleitores. Quem for pego fazendo isso, vai para a cadeia de seis meses a um ano e ainda paga multa de até R$ 15.961,50.

Também não pode distribuir santinhos, fazer comícios, usar alto-falantes e usar carros de som.

Por outro lado, o eleitor pode fazer manifestações individuais e silenciosas: usar camisetas de um candidato ou partido, bandeiras, broches, dísticos e adesivos.

 

“O futuro dependerá daquilo que fazemos no presente.”Mahatma Gandhi, líder pacifista indiano

Os comentários estão desativados.